Porque somos loucas pelos bad boys, a ciência explica
Porque somos loucas pelos bad boys, a ciência explica
Porque somos loucas pelos bad boys, a ciência explica
Leia mais

Porque somos loucas pelos bad boys, a ciência explica

Qual é a mulher que, em algum momento da sua vida, não morreu de amores por um bad boy?

Qual é a mulher que, em algum momento da sua vida, não morreu de amores por um bad boy? E embora nem possamos ter sentido isso, todas nós temos aquela linda amiga que parece irremediavelmente viciada em homens que o são, mais cedo ou mais tarde, vão deixá-la em lágrimas no sofá com uma garrafa de vinho. Quem sabe: Talvez seja essa mulher. Ou talvez pode ser um homem genuinamente bom que não consegue entender por que tantas mulheres são atraídas por estes idiotas.

Até certo ponto, a resposta está enraizada na ciência evolucionária. Muitas das qualidades que definem um idiota - características tradicionalmente masculinas, uma natureza indiferente, confiança, arrogância, uma tendência para a ludibriação - resultam de altos níveis de testosterona, que lançam um sinal subconsciente de virilidade para o sexo feminino. Dessa perspectiva, é compreensível o porquê de as mulheres considerarem esses homens irresistíveis.

Mas também podemos argumentar que a cultura pop colaborou para isto. Há toneladas de filmes que mostram uma mulher doce e carinhosa a recuperar um sociopata narcisista e namorador através do poder absoluto de sua bondade. É claro que, no mundo real, isso não funciona, mas certamente cria uma narrativa convincente e, subsequentemente, uma fantasia sedutora para tentar reproduzir na vida real.

Mas aqui está a boa notícia: a ideia de que "os bonzinhos ficam para último" na verdade é contrária à pesquisa científica. Em um estudo de 2003, 242 universitárias tiveram a opção de escolher três homens - um que era bom, um que era um idiota e outro que era meio neutro - e perguntaram qual deles eles mais gostariam de namorar. Os resultados constataram que “a amabilidade parecia ser o fator mais saliente quando se tratava de desejo para relacionamentos mais sérios, enquanto a atratividade física parecia mais importante em termos de desejo por relações sexuais mais casuais”.

Isto corrobora com um estudo muito mais recente de 584 mulheres heterossexuais onde descobriram que as mulheres estavam mais interessadas em homens que pareciam mais “masculinos” quando se tratava de namoros sexuais de curto prazo, mas preferiam homens com características mais sensíveis para relacionamentos de longo prazo.

Numa pesquisa recente com 13.000 adultos descobriu-se que 91% das pessoas que procuram por um parceiro masculino disseram que seu homem ideal estava à vontade para discutir sexo e saúde mental, se preocupava com questões sociais e estava em contato com seus sentimentos e com as pessoas ao seu redor. Curiosamente, eles também descobriram que os homens gentis e carinhosos eram 20% mais felizes com a vida sexual do que o homem comum.

Então, sim, se o objetivo da sua vida é ter uma série de encontros sexuais sem sentido que a deixem morta por dentro, então continuar a namorar bad boys provavelmente aumentará sua taxa de sucesso. Mas se quer ter uma ligação profunda e duradoura com alguém e uma vida sexual satisfatória, então a ciência tem uma resposta conclusiva para si: bons rapazes definitivamente deveriam estar em primeiro lugar

Escrito por Gouvea Aline
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações