O perfume barato do supermercado Mercadona que imita uma fragrância de 118 euros

O perfume barato do supermercado Mercadona que imita uma fragrância de 118 euros

Quem vai pagar uma fortuna por um perfume caro se pode comprar quase o mesmo por uma pechincha? Os perfumes do supermercado espanhol Mercadona para mulheres e homens são um sucesso, não por menos. Seu cheiro é igualzinho ao das fragrâncias caras, mas são vendidas a um preço baixo, o que deixa eles irresistíveis. Nenhum custa mais de 10 euros!

Mercadona é um dos supermercados preferidos pelos espanhóis na hora de fazer a compra por seus baixos preços atraentes e seus produtos de qualidade. Na rede de supermercados, você encontra tudo o que precisa a preços tentadores, não apenas alimentos.

Os perfumes do Mercadona são um arraso entre blogueiros e formadores de opinião do Instagram por sua semelhança com fragrâncias caras e por seu preço muito acessível. Com uma vasta gama de colônias, você pode encontrar um para todos os gostos: fresco e frutado como Las Monogotas de Manzana, que lembra o Be Delicious da DKNY, ou mais tradicionais como o Zinnia, que lembra o clássico Eau de Rochas. Um outro seria o Complicity Woman, uma fragrância bem semelhante ao perfume da rainha da Espanha Letizia. Você pode cheirar como a realeza por muito pouco dinheiro!

Leia também
Como fazer para que o perfume dure mais tempo?

O creme Sisbela, a estrela dos cosméticos do Mercadona

Outro produto da cadeia de supermercados que é um arraso é o tratamento rejuvenescedor do Mercadona. O segredo do sucesso? Não custa nada mais e nada menos que 5 euros e tem as mesmas propriedades do tratamento Revitalizing da empresa Alain que custa 80 euros. Não é de se estranhar que a Mercadona venda mais de 1.600 unidades desses cremes por dia ...

E a grande semelhança de ambos os cremes anti-idade não é baseada um golpe, ao contrário do creme Cien da rede Lidl.A Organização de Consumidores e Usuários (UCO) classificou o creme da rede alemã como o melhor do mercado, colocando-o acima de cremes cosméticos produzidos em laboratórios como Vichy ou Clarins.

O ranking da Organização não convenceu os especialistas em cosmetologia que decidiram chegar ao fundo do assunto e questionaram o estudo que baseou a classificação. Foi então que se revelaram os aspectos reais que foram levados em conta na hora de classificar os cremes: o design atraente, a embalagem ou a textura do creme. Esta fraude rapidamente tirou o prestígio do creme da Lidl, cujas vendas tinham disparado desde a publicação do ranking da UCO em setembro de 2017. Foi demonstrado que o creme C10 da Cien não era necessariamente melhor que seus concorrentes em termos de propriedades, além de conter parabenos, substâncias nocivas à pele.

No caso do creme Sisbela e do tratamento Revitalizing da Alain, o mesmo problema não acontece. Ambos os cremes são produzidos na mesma fábrica na cidade de Granada. A única diferença entre os dois é o preço.    

 

• Bruna Moura
Leia mais