Mulher de 77 anos diz que bebe apenas Pepsi desde 1954

Mulher de 77 anos diz que bebe apenas Pepsi desde 1954

Bisavó declarou que não beberia água mesmo que estivesse a morrer.

Jackie Page, de 77 anos, não bebeu nada além de quatro latas de refrigerante -Pepsi- por dia desde o primeiro gole, aos 13 anos, em 1954. E ela insiste que sempre foi magra, em forma e saudável, apesar de consumir o equivalente a três milhões de cubos de açúcar.

"Eu não chamo a isso de vício. É algo que eu gosto e não posso evitar, se não gosto de mais nada ”, diz a governanta aposentada e mãe de quatro filhos. "Algumas pessoas podem pensar que é estranho e que hoje em dia não se deve beber Pepsi. Mas eu não me importo e não vou me conformar com mais nada. Eu não beberia água - de jeito nenhum. Nem mesmo se eu estivesse a morrer. E eu não bebo chá ou café".

Leia também
Aprenda a escolher o salmão mais saudável

Jackie acredita que a paixão pelo refrigerante em lata- ela não bebe Pepsi de garrafa - não afetou sua saúde ao longo dos anos. "Eu sempre fui muito, muito magra até cerca de cinco anos atrás - mas eu acho que é porque eu não sou tão ativa como eu era", diz ela. “Até os meus 60 anos eu ainda dançava e eu estava em forma, mas eu não posso sair para fazer isso agora. Eles dizem que a Pepsi é má para os dentes - mas eu sou um bebé do tempo da guerra e não há muitos de nós sem dentes podres, então eu não sei se foi da bebida”.

O desejo que a levou a beber mais de 93.000 latas a um custo de 80.000 dólares começou na adolescência. Até essa altura era um pesadelo para a sua mãe fazer a rapariga beber qualquer coisa. "Eu não gostava de leite ou água. A minha mãe costumava dizer "tens que beber alguma coisa". Eu sei que ela costumava dar-me limonada ou cherryade ”, diz Jackie.

Abaixo a Coca-cola Diet! Adoçantes artificiais na bebida popular são tóxicos para bactérias intestinais, adverte o estudo. "Eu não bebia por prazer. Até provar a Pepsi, beber era apenas algo que eu tinha que fazer.

Ela revela que a única interrupção na sua paixão pela Pepsi veio quando ela estava no hospital, a dar à luz os seus quatro filhos nos anos 60 - porque foi banida da maternidade. "Eles não me deixaram levar a bebida comigo, então eu tive que ficar sem", diz Jackie. “Mas eu já estive no hospital para algumas operações importantes e permitiram-me levar. Mesmo desgostosos, eles até me permitiram manter minha Pepsi na cozinha porque eu não beberia mais nada. Meus filhos costumavam visitar-me no hospital com suplementos para que eu ficasse hidratada”.

Agora, até mesmo os seus 11 netos e oito bisnetos estão sob instruções restritas para não beberem o seu stock quando a visitarem em sua casa em Carshalton, Inglaterra.

Jackie - que uma vez teve um cão chamado Pepsi e admite odiar a marca rival Coca-Cola - diz: “Eu bebo uma lata gelada assim que acordo todos os dias. É como quando alguém diz que quer beber chá logo de manhã. Eu bebo uma boa lata de Pepsi em vez disso.”

"Eu até as levo quando vou jantar fora, porque eu também não gosto de álcool. Se o restaurante não tiver eu tiro uma lata da minha carteira. Às vezes eles ficam um pouco chocados com isso. Mas eu só sei do que gosto - e isso é a Pepsi". 

• Pedro Souza
Leia mais