Ovos: de vilões a mocinhos da alimentação saudável

Ovos: de vilões a mocinhos da alimentação saudável

Versáteis, baratos, ricos em proteínas e fáceis de preparar: os ovos são ingredientes fundamentais nas mesas das famílias. Saiba o porquê!

Antes visto como o grande vilão do colesterol alto, o ovo agora tornou-se mocinho da história da alimentação saudável e é um ingrediente indispensável no cardápio de qualquer pessoa que pratique atividades físicas.

Rico em proteínas e muito versátil, é uma excelente fonte deste nutriente que está presente em todas as células que integram o corpo humano. O nosso organismo usa a proteína para construir músculos, reparar os tecidos e boa parte das nossas unhas e cabelos são compostos por esta substância.

Para os vegetarianos, o consumo de ovos é ótimo para oferecer proteínas de boa qualidade ao indivíduo. É também indicado para quem quer perder peso, já que tem poucas calorias, não tem carboidratos e dá sensação de saciedade – o que ajuda a controlar o apetite após a ingestão. Entre outros benefícios, sua composição auxilia no ganho de massa muscular, pode melhorar o humor, a função cerebral (inclusive a memória!) e até fortalecer o sistema imunológico. 

Muitas pessoas ficam na dúvida sobre a melhor forma de comer os ovos, já que recentemente ganhou força na internet uma corrente que sugere que os ovos devem sem ingeridos crus. Mas, um recente estudo publicado pelo jornal especializado National Library of Medicine indicou que o organismo consegue absorver 90% da proteína presente nos ovos cozidos e apenas 50% dos ovos crus. Além disso, a chance de ter uma intoxicação alimentar ao ingerir ovos crus é muito maior. Outra dúvida comum é a quantidade que cada pessoa deve comer para manter uma alimentação saudável.

De acordo com o sistema de saúde britânico, não existe um limite recomendado para a quantidade de ovos que se deve ingerir por dia. Já a publicação especializada Healthline.com defende que, em média, uma pessoa saudável deve comer, no máximo, três por dia. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por sua vez, recomenda o consumo de um ovo por dia. De qualquer forma, é muito importante ficar atento às peculiaridades de cada organismo e também às reações que podem aparecer. Uma pessoa com o colesterol elevado, por exemplo, não deve comer mais do que dois ou três por semana. Uma dica para as pessoas com excesso de peso é optar por comer mais as claras do que as gemas. A clara constitui 60% do peso do ovo, é rica em água e em proteína (em albumina, principalmente), e é duas vezes menos calórica do que a gema. 

Conheça cinco curiosidades sobre este alimento barato, saboroso e fácil de preparar:-

O brasileiro consome, em média, 200 ovos per capita ao ano;

- Pesquisas recentes conduzidas por cientistas ingleses e chineses revelam que a ingestão diária de ovos pode reduzir em 12% o risco de doenças cardíacas;

Leia também
Frutas e legumes com formas bem estranhas

- O Brasil é o sétimo maior produtor de ovos do mundo;

- O ovo foi usado como matéria-prima para a vacina contra a gripe H1N1;

- A porta da geladeira não é o melhor local para armazenar os ovos: a constante variação de temperatura pode afetar a casca.

Pedro Souza
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações