Criança vem ao mundo segurando o DIU da mãe

Criança vem ao mundo segurando o DIU da mãe

Essa história vai provar que mesmo os métodos contraceptivos considerados mais eficazes, podem, ainda que raramente, falhar! 

A gravidez

Lucy Hellein, uma americana de 34 anos, deu á luz Dexter Benjamin Manuel Tyler em um hospital do Alabama, Estados-Unidos, por via de uma cesariana programada. A mãe postou uma foto do recém nascido em suas redes sociais, que viralizou rapidamente. Na imagem o bebê aparace segurando o DIU que a mãe usava para não ficar grávida.

Hellein conta que quando soube da gravidez, ficou apavorada: "Eu fique com medo no início...Pelo que li na internet, a maioria das gravidez do DIU não são viáveis ou terminam em aborto espontâneo. Presumi que tivesse apenas algumas semanas, oito semanas no máximo" disse Hellein ao jornal Global News. Mas confiante, ela decidiu continuar com a gravidez mesmo assim.

Leia também
O que esse homem faz pela esposa é lindo. Difícil encontrar uma prova de amor mais bonita

Durante o primeiro ultra-som, os médicos disseram que ela estava grávida de cerca de 18 semanas. Eles também disseram a ela que o DIU não estava em lugar algum e presumiram que ele havia caído: "Eu tinha certeza de que ainda estava em algum lugar dentro de mim" contou, "Quando eu finalmente anunciei minha gravidez, já que eu obviamente fazia parte dos 1% das mulheres que acabaram gravidas mesmo usando um DIU, eu imaginei que acrescentaria a hashtag #babydiu em cada foto da barriga e do ultra-som" disse ela.

Repercussão nas redes 

Mas é a foto de Dexter segurando o DIU que chamou toda a atenção, tanto que muitos usuários da Internet se perguntaram se era falso.

Na verdade, o bebê não nasceu segurando o DIU em sua mão, já que o dispositivo se encontrava atrás da placenta. Hellein diz que provavelmente foi uma das enfermeiras ou uma ideia do pai fazer com que ele posasse com isso.

Gravidez usando DIU 

Dentre todos os contraceptivos que existem no mercado, o DIU é considerado um dos mais eficazes. Eles são aparelhos colocados na cavidade do útero, sendo que atualmente podem apresentar outros tipos de indicações, além da anticoncepção; ocorre uma reação de corpo estranho dentro da cavidade uterina que é potencializada pelo cobre. Essa reação impede a gestação de duas maneiras: uma por dificultar a passagem dos espermatozoides pelo colo e cavidade uterina (a fecundação ocorre nas trompas); e a outra é que, se ocorrer a fecundação, o ovo fecundado não consegue se implantar ou, até mesmo, há um efeito tóxico diretamente sobre o ovo. 

Médicos orientam avaliar a posição do DIU com ultrassonografia de rotina, pois existe a possibilidade de sair do local, migrar e perder a sua eficácia anticoncepcional. 

• Bruna Moura
Leia mais