Idosa de 92 anos mata filho por tentar colocá-la em uma casa de repouso

Idosa de 92 anos mata filho por tentar colocá-la em uma casa de repouso

Uma senhora está sendo acusada de matar o próprio filho após ele ter tentado colocá-la em uma casa de repouso.

 

Anna Mae Blessing foi sentenciada por homicídio. Ela disse ter matado o filho, Thomas Blessing, em sua casa em Fountain Hills, Arizona, Estados Unidos, na segunda-feira depois de ele ter dito quais eram os seus planos. 

A chegada da polícia

Oficiais que chegaram na casa da dona Blessing encontraram o senhor Blessing com um ferimento de bala de revólver em seu pescoço e maxilar, enquanto sua mãe permanecia sentada numa cadeira de balanço em seu quarto. A suspeita foi conduzida de sua residência com escolta até a delegacia. Quando foi presa, ela resmungou: “você tomou a minha vida, então eu vou tomar a sua”, de acordo com a Xerife da cidade.

Blessing contou a um oficial que ela matou seu filho por tentar colocá-la numa casa de assistência a idosos. De acordo com a polícia, a pensionista discutiu com seu filho e a namorada dele sobre como ela estava sendo tratada pouco antes de cometer o assassinato. Blessing, que foi morar com seu filho e sua companheira quatro meses atrás, disse que também tentou matar a namorada de seu filho, mas ela conseguiu tirar a arma de sua mão antes.

Detalhes do ocorrido 

Depois que ela atirou duas vezes em seu filho, ela virou a arma contra a namorada dele, cujo nome não foi revelado. Enquanto brigava contra a mulher, Blessing viu sua mão perder aderência com a arma e seu dedo escapou do gatilho, mas ela ainda tinha uma segunda pistola. Quando ela sacou a segunda arma, a mulher que estava no quarto empurrou a senhora tirando a arma de sua mão, e, logo em seguida, ligou para a polícia. A idosa escondeu as duas pistolas nos bolsos de seu vestido e atirou várias vezes dentro de seu quarto.

“Segundo o que entendi, ela pensou a respeito do crime alguns dias antes, porque havia uma briga sobre seu filho querer colocá-la numa casa de assistência a idosos”, contou um sargento à rede de jornalismo CNN. A polícia, por sua vez, disse que a senhora Blessing checou o pulso do seu filho para verificar se ele estava mesmo morto, mas não conseguiu seguir com o plano e se suicidar porque ela acabou sendo afastada para longe das armas pela namorada do seu filho. Blessing disse aos policiais que deveriam “pô-la para dormir” depois que fora levada para a delegacia. Ela também contou aos policiais que uma das armas tinha sido comprada nos anos 1970.

O Julgamento

Paul Penzone, o xerife local disse num depoimento que: “É sempre preocupante quando um problema doméstico evolui para violência ou resultados trágicos. Geralmente, eles são isolados e não podem ser nem previstos nem prevenidos”, completou. A senhora Blessing foi sentenciada por assassinato de primeiro grau, com agravante de uso de arma mortal. O julgamento está marcado e deve acontecer no dia 10 de julho, às 8h30 da manhã. Sua fiança foi estabelecida no equivalente a dois milhões de reais.

• Bruna Moura
Leia mais