A ecografia deste bebê “fazendo uma bolha” esconde uma terrível realidade

A ecografia deste bebê “fazendo uma bolha” esconde uma terrível realidade

A pequena Layna correu o risco de não conhecer o mundo. Quando sua mãe estava grávida de 17 semanas, a ecografia mostrou o bebê “fazendo uma bolha”. Na verdade, a imagem era muito mais grave que essa descrição, pois se tratava de um tumor. Os médicos a operaram ainda no útero... um grande logro da medicina!

Grávida de 17 semanas, Tammy Gonzalez certamente tem a gravidez mais angustiante do mundo. Enquanto ela estava visitando seu ginecologista para uma simples visita, ele viu um detalhe muito estranho no ultrassom. Uma espécie de "bolha" estava perto da boca do feto. Claramente visível no ultra-som, essa "bolha" era um tumor do tamanho de um pequeno pêssego.  

Um caso muito especial

Raro, esse tipo de tumor é chamado de "teratoma oral". Difícil de se retirar, as chances de sobrevivência são mínimas. Desesperada Tammy Gonzalez e seu marido, Alan, apelaram para um grande professor de ginecologia, Dr. Ruben Quintero. Este último já realizou operações no útero (mesmo quando o bebê ainda estava no útero da mãe). Era impossível esperar até o final da gravidez porque segundo o profissional, esse tipo de tumor "cresce muito rápido". E os teratomas têm o podem aumentar e "bombear" o sangue de outros órgãos para se auto alimentar. Isso poderia causar a morte do feto.

Leia também
Jovem acorda com o corpo coberto de hematomas e médicos dão diagnóstico assustador

O primeiro caso no mundo

Operada antes de nascer, a pequena Leyna é agora uma garota sumptuosa e muito saudável. Apenas uma pequena cicatriz pode ser notada. Hoje vivendo ao lado de seus pais, a menina pode dizer que ela foi a primeira a ser operada deste tipo de tumor, enquanto ainda estava no útero de sua mãe. 

Pedro Souza
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações