Arábia Saudita: mulheres dão um passo á frente na conquista de seus direitos no País

Arábia Saudita: mulheres dão um passo á frente na conquista de seus direitos no País

Mulheres sauditas já podem ser avisadas sobre divórcio por mensagem. Medida é para proteger as mulheres do país, segundo o governo local. Informações sobre estado civil vão estar disponíveis também na internet.

As mulheres da Arábia Saudita vão poder ser informadas por mensagem de texto caso sejam alvos de um processo de divórcio. A nova lei, que começou a valer em 06 de janeiro, tem o objetivo de assegurar que os maridos não terminem seus casamentos em segredo e comecem uma nova vida sem que as esposas sequer saibam. Isso é algo comum entre os homens do Mundo Árabe.

Leia também
Um estudo determina a idade ideal para se casar e evitar o divórcio

O Ministério da Justiça saudita afirma que o decreto é "um passo que visa a proteção dos direitos das clientes, e o avanço na transformação digital com mais serviços". Segundo o governo, as mensagens de texto que as mulheres podem receber sobre possíveis pedidos de divórcio vão incluir o número de um protocolo e informações relevantes para o processo. Elas também vão poder acessar dados sobre seu estado civil pela internet. Para assinar o divórcio, basta comparecer a um tribunal.

"Na maioria dos países árabes, os homens podem simplesmente entrar com um pedido e se divorciar de suas esposas", explicou Suad Abu-Dayyeh, do grupo de direitos humanos Equality Now, à Reuters. "Ao menos, as mulheres vão saber se estão divorciadas ou não. É um passo pequeno, mas na direção certa". A Arábia Saudita é um dos países mais conservadores do mundo quanto aos direitos das mulheres. A nova lei é um dos diversos esforços realizados pelo príncipe Mohammed bin Salman para modernizar o reino do Oriente Médio. Bin Salman também ordenou a reabertura dos cinemas do país depois de 35 anos de portas fechadas.

Somente em 2018, as mulheres foram autorizadas a dirigir na Arábia Saudita e, até muito recentemente, eram proibidas de frequentar estádios de futebol. Muitos direitos civis são atrelados a uma sistema de tutela de aprovação masculina. Entre inúmeras leis que parecem absurdas aos olhos ocidentais, as sauditas precisam pedir autorização ao pai, irmão, tio, marido ou qualquer figura masculina com quem tenham parentesco para poder se casar, viajar para fora do país e até para sair da prisão.  

• Gouvea Aline
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações