Para lutar contra os esteriótipos, duas mulheres organizam um “Anti Victoria’s Secret Show”
Para lutar contra os esteriótipos, duas mulheres organizam um “Anti Victoria’s Secret Show”
Leia mais

Para lutar contra os esteriótipos, duas mulheres organizam um “Anti Victoria’s Secret Show”

Dia 20 de novembro aconteceu o Victoria’s Secret Fashion Show, em Shangai. Paralelamente ao evento, duas irmãs decidiram criar o “Anti Victoria’s Secret Show”, um desfile para combater os modelos ditados pelo mundo da moda.

Há alguns meses, a Victoria’s Secret divulgou uma lista com o nome das mulheres mais sexys de 2017. A marca acabou sendo acusada de racismo e, desde então, vem adotando uma política mais inclusiva. Este ano, 50% das modelos presentes no Victoria’s Secret Fashion Show representaram a diversidade. No entanto, a maioria delas atende aos critérios de magreza impostos pela indústria da moda.

Em resposta aos ditames e à política da Victoria's Secret, Alyse e Lexi Scaffidi decidiram organizar o "Anti Victoria's Secret Show". As irmãs americanas fazem parte da franquia Bitesized, que promove exercícios, um estilo de vida saudável e, acima de tudo, a auto-aceitação.

Um contraponto brilhante para muitos eventos da indústria da moda

Com o "Anti Victoria's Secret Show" as irmãs Scaffidi pretendem lembrar que toda mulher pode ser um "anjo". Elas explicam: "Na verdade, tivemos a ideia durante o desfile da Victoria’s Secret do ano passado. Enquanto assistíamos fascinadas os desenhos espetaculares apresentados pela marca, nós também queríamos ser anjos, mas sabíamos que não seria possível".

"Recriar o desfile da Victoria's Secret foi nossa chance de realizar o sonho de 21 mulheres serem anjos, e também esperamos inspirar outras mulheres a serem auto confiantes", acrescentam as irmãs sobre o projeto. Durante o evento, uma mulher em cadeira de rodas, uma pessoa com um membro amputado e uma top model com nanismo puderam desfilar.

Alyse Scaffidi também respondeu aos ataques contra o "Anti Victoria's Secret Show". "Este desfile não existe para celebrar a obesidade ou a anorexia. Nós organizamos esse evento para nos libertar de um tipo de beleza estereotipada e homenagear as mulheres como elas são", disse a jovem, que soube assumir o desafio ao lado da irmã e das modelos presentes.

Escrito por Pedro Souza
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações