Cassoulet: a nova tendência gastronômica de Nova Iorque à Osaka

  • A última sensação culinária que agita as papilas gustativas dos viciados em comida: o cassoulet
  • Os restaurantes Benoit, de Alain Ducasse, começaram, do outro lado do Atlântico, o Dia Nacional do Cassoulet
  • Um guisado de feijão francês, cozido lentamente na gordura
  • Cassoulet: do occitano caçolet
  • O nome do cassoulet vem de "cassole", um recipiente de terracota esmaltado fabricado em Issel.

Quem poderia imaginar? De Nova Iorque à Osaka, a última sensação culinária que agita as papilas gustativas dos viciados em comida é, nada mais nada menos, que o cassoulet. Pois é, enquanto os franceses amam as iguarias vindas do exterior, lá do outro lado do mundo é uma receita típica do sudoeste francês que está bombando.

Essa é uma novidade que merece o título de surpreendente. Enquanto na França cada estação traz suas novidades em matéria de inovações culinárias, além das fronteiras francesas os amadores da gastronomia descobrem o cassoulet. "Em pleno inverno, poucos pratos são tão satisfatórios e reconfortantes quanto esse guisado de feijão francês, cozido lentamente na gordura", explica um artigo do New York Post. Uma especialidade regional da região de Languedoc, cujo nome vem de "cassole", um recipiente de terracota esmaltado fabricado em Issel, apresentado pelo jornal nova-iorquino como "perfeito para essa época do ano".

Cassoulet: "O novo lámen"

Perguntado pelo New York Post, Jimmy Carbone, proprietário do restaurante Jimmy's na rua 43, Nova Iorque, explicou ao jornal que seu concurso de cassoulet nunca atraiu tanta gente. "Há oito anos, quando lançamos o festival, recebíamos principalmente pessoas acima de 50 anos, saudosas dos bistrôs franceses. Com a abertura de novos bistrôs, como o Dirty French, a clientela ficou ostensivamente mais jovem. O cassoulet virou tendência. É o novo lámen". Vale lembrar que os restaurantes Benoit, de Alain Ducasse, começaram, do outro lado do Atlântico, o Dia Nacional do Cassoulet: uma dia em que 13 cidades americanas celebram o prato propondo variações da receita.

A terra do Sol Nascente se rende ao cassoulet

E tem mais, o cassoulet também foi exportado para o Japão. O jornal Midi Libre informou que uma delegação de jornalistas, chefs e confeiteiros foram à França para se encontrar com Philippe Solovieff, chef do restaurante La Calèche em Peyrens, Aude. O objetivo? Exportar a receita do cassoulet para a terra do Sol Nascente. "Amostras já foram enviadas para o arquipélago para produzir cópias semelhantes à especialidade. E o chef francês será o embaixador do cassoulet em Osaka de 14 a 18 de março. Sua missão será servir de 2000 a 3000 porções de cassoulet", diz a notícia do jornal regional. O que confirma, às vezes o agito culinário vem de onde menos se espera.

• Mariane Meloni
Você já reparou que os alimentos se parecem com os órgãos que ajudam a melhorar?

Você já reparou que os alimentos se parecem com os órgãos que ajudam a melhorar?


Sem Internet
Verifique suas configurações