Homem que espancou empresária durante 4 horas é acusado de ter premeditado o crime
Homem que espancou empresária durante 4 horas é acusado de ter premeditado o crime
Leia mais

Homem que espancou empresária durante 4 horas é acusado de ter premeditado o crime

Apesar de ter alegado que teve um “surto”, Vinícius Batista Serra deu nome falso na portaria do prédio.

Um crime sem razão

No início dessa semana o Brasil foi surpreendido com mais um notícia de violência contra a mulher. A empresária Elaine Caparróz, de 55 anos, foi espancada durante quatro horas pelo pelo estudante de direito Vinícius Batista Serra, de 27 anos, com quem tinha  amigos em comum e mantia contato há 8 meses via uma rede social. A noite do crime foi a primeira vez que eles teriam se encontrado. Elaine comprou queijos e vinhos para receber e poder conversar com Vinícius. No final do encontro, alegando estar um pouco tarde demais para ir embora, Vinicius pediu para dormir no apartamento da empresária.

Elaine acordou sendo agredida violentamente. De acordo com a própria vítima ela teria implorado várias vezes para que ele parasse e gritava: “Para, para pelo amor de Deus”. Foi então que o Vinícius completamente fora de si tentou dar um “mata leão” em Elaine que se protegeu com os braços e acabou sendo mordida.

Em um vídeo publicado pelo “O globo” a empresária deu depoimentos fortíssimos sobre o ataque que sofreu naquela noite:

“Ele não falava, ele só gritava e me xingava e me dava vários murros, assim mas com uma força muito absurda e eu tentava me defender, mas eu sentia os murros acertando meu rosto, acertava cada murro que ele me dava eu pensava que eu ia morrer”.

“Antes de dormir ele falou assim, posso dormir aqui? Eu falei, pode. Aí ele falou então deita no meu ombro pra gente dormir abraçadinho, pra gente dormir juntinho. Eu falei, tá bom. Ai eu deitei no ombro dele, só que eu não sei quanto tempo.. Eu acordei com ele me esmurrando a cara, me esmurrando e gritando muito, filha da puta, vagabunda, e gritava”.

Vinícius foi preso em Flagrante e alegou que teve um “surto”. Mas a polícia já começou as investigações para saber se o crime foi premeditado, pois ele teria dado um nome falso na portaria do prédio.

O recomeço

Elaine Caparroz deixou o CTI e foi levada para um quarto particular. Ela sofreu diversas fraturas no rosto, no nariz, levou mordidas e ainda perdeu um dente. Apesar dos ferimentos, seu estado de saúde é considerado estável, mas seu psicológico continua abalado. Elaine recebeu o apoio de familiares a amigos através das redes sociais: "Deus é bom! Com as orações de todos está dando uma boa recuperação física para a Elaine! Resta o psicológico, mas ela nasceu de novo! Obrigado pelo apoio e continuem orando e não vamos perder de vista o covarde que bateu no irmão deficiente também!", afirmou o cunhado de Elaine no post.

 

Imagem:  Vinicius Batista Serra/Redes sociais

Escrito por Andressa Zabeu
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações