De acordo com um estudo, seu cão pode ser menos inteligente que um lobo
De acordo com um estudo, seu cão pode ser menos inteligente que um lobo
Leia mais

De acordo com um estudo, seu cão pode ser menos inteligente que um lobo

Segundo um estudo recente realizado por uma equipe internacional, os lobos seriam mais inclinados a entender as relações de causa e efeito que os cães. Uma diferença que pode ter resultado da domesticação dos cachorros.

Esse é um estudo que pode mexer com alguns preconceitos associados aos lobos. Pesquisadores conseguiram elucidar as notáveis capacidades mentais desses canídeos. Capacidades que seriam superiores às dos cães, de acordo com um recente estudo realizado no Wolf Science Center na Áustria e publicado na revista Scientific Reports.

Para chegar a essa descoberta, especialistas da Holanda, Alemanha, Inglaterra e Áustria realizaram testes de aptidão de raciocínio em 14 cães que vivem em grupo e em 12 lobos “socializados” pelo homem. Eles também fizeram os mesmos ensaios em 12 cães domésticos que vivem com famílias.

Encontrar a caixa certa

O objetivo das experiências era demonstrar e analisar as capacidades de dedução e de comunicação dos respectivos animais. Para fazer isso, duas caixas opacas, idênticas e fechadas hermeticamente foram colocadas uma ao lado da outra. A única diferença entre as duas era o conteúdo: uma estava cheia de comida enquanto a outra estava completamente vazia.

A partir daí, o teste foi dividido em três partes. Para a primeira série de observações, um membro da equipe ficou encarregado de mostrar a caixa com alimentos através de um sinal de comunicação: ele estabelecia contato visual direto com o animal e apontava para o objeto. Para a segunda parte, o humano devia estabelecer um indicador comportamental e simplesmente apontar ou farejar a caixa, mas sem contato visual.

Por fim, na terceira série, foi empregado um indicador causal: o humano não estava presente e a caixa com comida simplesmente fazia barulho quando era movimentada. Os cães e os lobos foram capazes de seguir os indicadores comunicativos da primeira série para encontrar a comida escondida. Mas, os resultados foram bem diferentes nas duas outras séries.

Sem contato visual, na segunda série, nem os cães nem os lobos escolheram o objeto correto. E por fim, na terceira série, sem a presença do homem, apenas os lobos foram capazes de encontrar a caixa correta a partir do barulho. Isso sugere, de acordo com os cientistas, que os lobos são capazes de entender relações de causa e efeito, bem melhor que os cães.

Capacidades afetadas pela domesticação?

Como explicar essa diferença? Os especialistas têm uma pista: ela pode ser resultado da domesticação. “Os resultados do nosso estudo sugerem que a domesticação afetou a compreensão das relações de causalidade em nossos cães”, explicou Michele Lampe, bióloga da Universidade Radboud, na Holanda, em um comunicado.

Ainda assim, essa teoria precisa ser provada. “Não se pode descartar que as diferenças se expliquem pelo fato de que os lobos são mais persistentes na busca de objetos que os cães. Os cães são condicionados a receber de nós, enquanto os lobos devem encontrar o alimento na natureza”, explicou a especialista.

“Nosso estudo é único, pois não compara somente cães e lobos que vivem em condições idênticas, com um mesmo histórico e treinamento. Nós também comparamos cães que vivem em matilha com animais de estimação que vivem com suas famílias humanas”, destacou Juliane Bräuer, comportamentalista do Instituto Max-Planck para a Ciência da História do Homem, na Alemanha.

Uma domesticação facilitada

Embora seja objeto de diversos estudos, o processo de domesticação dos cães ainda guarda um pouco de mistério que essas pesquisas tentam esclarecer. Na verdade, durante as experiências, os lobos se mostraram tão eficientes quanto os cães quando se tratava de compreender os contatos visuais vindos dos humanos para agir de acordo na sequência.

“A capacidade dos lobos de entender os indicadores comunicativos humanos pode ter facilitado a domesticação”, decifrou Zsófia Virányi do Vetmeduni Vienna, na Áustria. Mas esse especialista e seus colegas preferem se manter prudentes. Os lobos envolvidos no estudo eram “socializados” e, portanto, acostumados com o contato visual humano; é possível que os resultados tenham sido influenciados.

Embora as experiências realizadas com os cães e os lobos sejam de uma dimensão e precisão inéditas, outros estudos devem ser feitos para confirmar uma eventual diferença de capacidade cognitiva entre cães e lobos, assim como para definir o papel da domesticação.

Escrito por Pedro Souza
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações