Alugar um animal: um absurdo possível graças a uma start-up americana
Alugar um animal: um absurdo possível graças a uma start-up americana
Alugar um animal: um absurdo possível graças a uma start-up americana
Leia mais

Alugar um animal: um absurdo possível graças a uma start-up americana

"Receba um visitante de pelos em sua casa ou escritório! O cãozinho ou gatinho pode passar um dia ou uma noite com você. E se você se apaixonar, pode ficar com ele para sempre!" É esse tipo de serviço que a start up "Rescue Time" oferece.

Vejamos de perto o que faz a Rescue Time. A companhia oferece aluguel de gatinhos e cachorrinhos (nada de animais adultos, apenas filhotes que são mais fofinhos!).

Alugar uma vida

Os preços começam em 79 dólares (cerca de 310 reais) por um cachorrinho ou um gatinho, por um dia. Você pode tê-los por 8 ou 24 horas, ou fazer uma assinatura para visitas regulares. Os animais de estimação podem ser alugados individualmente, mas também em combos se você quiser vários.

Ah, e se você não gostar de gatinhos e cachorrinhos, a Rescue Time também prevê a inclusão de outros animais como coelhos, porquinhos e cabras no catálogo.

Animais-objetos

Esse conceito absurdo é uma resposta à demanda dos tempos modernos, isto é, a uberização de todos os serviços. Na Rescue Time, a vida foi uberizada. Trata-se de um desrespeito total às necessidades afetivas de um animal de estimação.

Na verdade, "O período de adaptação ao ambiente para um cachorrinho ou um gatinho pode levar uma ou duas semanas, ou até mesmo meses", explica o diretor de um abrigo para a rede americana "The Next Web", que revelou o escândalo. Tanto que os cães precisam de um dono constante para se sentirem em segurança.

Animal de estimação = responsabilidades

O que a Rescue Time nega implicitamente é que adotar um animal não é alugar um bichinho de pelúcia vivo. Se adotar um animal é arrumar uma companhia, também é ser um companheiro para ele. Adotar um animal implica em responsabilidades, e também em custos, um compromisso a longo prazo, para a vida toda.

Uma prova que isso não é bem assim para muitos "donos" de animais é a constatação do número crescente de abandonos a cada ano. Na França, no último verão, cerca de 100.000 animais de estimação foram abandonados. Em 3 anos, o número de abandonos aumentou em 20% entre os gatos e 6,5% entre os cães segundo Nicolas Dumas, diretor adjunto da SPA.

Para deter esse fenômeno de abandono, é preciso educar e responsabilizar os "donos" de animais... e é aí que a Rescue Time torna-se irresponsável.

Escrito por Pedro Souza
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações