Conheça os melhores destinos para degustar cachaça

Conheça os melhores destinos para degustar cachaça

A pinga é um produto nacional! Tem para todos os gostos: prata, ouro, adocicada, amarga. Ela faz parte da nossa história, herança dos engenhos, e seus produtores estão espalhados por todo o país, cada um com sua particularidade. Que tal uma viagem bem “cachaceira”? Apresentamos os principais destinos para bebericar essa especialidade brasileira!

O Brasil produz cerca de 800 milhões de litros de aguardente por ano. São quase 2.000 estabelecimentos e 4.000 rótulos registrados. Entre os maiores produtores estão São Paulo, Pernambuco, Ceará, Minas Gerais, Paraíba e Espírito Santo.

Minas Gerais possui até mesmo seu próprio Circuito Turístico da Cachaça, com passagem por cinco municípios: Salinas, Taiobeiras, Rubelita, Fruta de Leite e Indaiabira. A primeira cidade é responsável pela famosa Havana, considerada uma das melhores do mundo e com o extra de ser completamente artesanal.

Curiosidade 1: nossa bebida típica bate a dos nossos vizinhos em idade. Surgida entre 1516 e 1532, ela é mais antiga que o Pisco, a Tequila e o Rum.

Curiosidade 2: os maiores apreciadores da caninha estão em São Paulo, Pernambuco e Minas Gerais, além do Ceará e da Bahia. Entre os 54 países que exportam nosso “mé”, os grandes consumidores são Alemanha, Estados Unidos, Paraguai, Uruguai e França. E não é pouca coisa: a exportação da cachaça gerou uma receita de quase 44 milhões de reais em 2016. Haja caipirinha!

Curiosidade 3: a cachaça amarela tem essa cor porque é armazenada em barris feitos com madeiras típicas do Brasil como o Carvalho, a Amburana, o Jequitibá, o Amendoim, o Bálsamo, o Ipê, o Freijó, o Eucalipto e a Castanheira.

Curiosidade 4: em 1961, a venda da cachaça ultrapassou a da bagaceira, bebida portuguesa, e sua produção e comercialização foram proibidas pela corte. Péssima ideia: no dia 13 de setembro, os fazendeiros iniciaram uma rebelião, a Revolta da Cachaça, o primeiro passo para a legalização do que seria nossa bebida típica. Mal sabiam os portugueses no que isso ia dar!

• Bruna Moura
Leia mais