Bullying: menino de 9 anos se suicidou depois de se assumir

Bullying: menino de 9 anos se suicidou depois de se assumir

Nos Estados Unidos, James, um garotinho de 9 anos, se assumiu orgulhosamente na escola. Ao sofrer bullying dos colegas, ele se suicidou quatro dias depois.

O bullying na escola pode ter consequências pesadas para a estima, a saúde e a vida de uma criança. Infelizmente foi isso que viveu Jamel Myles, um garotinho de 9 anos, que se matou depois de ter sido muito zombado pelos colegas de turma depois de se assumir.

Pais das crianças são considerados responsáveis pela mãe

Leia também
Zoado durante toda a adolescência por causa do seu físico, ele teve uma vingança magnífica!

"Ele estava muito assustado quando me disse: 'Mamãe, eu sou gay'. Achei que ele estava brincando, mas quando olhei para o banco de trás ele estava de joelhos, realmente assustado. Então eu lhe disse: 'Eu vou sempre te amar.' (...) Ele disse que iria contar para todo mundo que era gay porque tinha orgulho de si", declarou sua mãe a um noticiário americano. Só que os outros alunos não foram nada tolerantes e o encheram de reprovação, dizendo até mesmo para ele se matar, o que Jamel Myles acabou fazendo. "Quatro dias, foi o tempo que levou. Não consigo nem imaginar o que eles disseram. Meu filho disse a minha filha mais velha que as crianças da escola falaram para ele se suicidar. Estou triste que ele não veio falar comigo", contou Leia Pierce, que encontrou o corpo sem vida do filho.

Em Denver, uma reunião de crise foi organizada pela diretora do estabelecimento para sensibilizar pais e crianças sobre o bullying na escola. Para a mãe do garoto, a educação dada pelos pais tem grande responsabilidade no suicídio do filho: "Acho que os pais devem ser responsabilizados porque são eles que ensinam seus filhos a se comportarem assim, ou que os tratam desse jeito".

Gouvea Aline
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações