Ela volta do Caribe com algo estranho na perna e o que descobre é assustador

Ela volta do Caribe com algo estranho na perna e o que descobre é assustador

Uma americana de 45 anos teve uma erupção cutânea quando voltou de férias do Caribe. Duas semanas depois, ela notou algo mexendo sob a pele… O que ela descobriu é assustador!

O que é? 

A americana contraiu o que chamamos de bicho-geográfico, também chamado de larva migrans, é um verme que possui o corpo alongado, cilíndrico e afilado nas extremidades. Esse verme parasita cães e gatos e os seus ovinhos são eliminados nas fezes desses animais. Ao fazerem cocô na areia ou na terra, cães e gatos que estão contaminados eliminam os ovos desses vermes. Quando caem na areia ou na terra, os ovos dos vermes irrompem, liberando as larvas do bicho-geográfico. Na areia, essas larvas se desenvolvem e quando atingem 0,5 milímetro já conseguem penetrar na pele de cães e gatos. Mas a larva não penetra apenas na pele desses animais, elas também penetram na pele das pessoas.As larvas que causam essa doença são mais comuns em praias poluídas com fezes de cães e gatos, mas podem ser encontradas em qualquer lugar que dê condições para que elas se desenvolvam.

Quando uma pessoa pisa, senta ou encosta qualquer outra parte do corpo no local onde há larvas, estas podem perfurar a pele e contaminar a pessoa. As partes do corpo que são mais atingidas pela larva são o bumbum e os pés. Essa doença é mais comum em crianças, por ficarem brincando na areia da praia, mas também pode infectar adultos.

Sintomas 

Quando esses vermes estão dentro do corpo da pessoa, eles começam a andar sob a pele, formando um túnel tortuoso e avermelhado e provocando muita coceira. Esses túneis que a larva vai abrindo ao se locomover na pele lembram um mapa geográfico e é por esse motivo que esse verme se chama bicho-geográfico.Esses vermes ficam mais ativos durante a noite e por isso a coceira aumenta nesse período. Uma forma de aliviá-la é colocando uma bolsa de gelo sobre o local.

Leia também
Jovem acorda com o corpo coberto de hematomas e médicos dão diagnóstico assustador

Por se tratar de um verme, essa doença é considerada uma verminose e é tratada com a aplicação de pomadas vermicidas ou então com a ingestão de vermífugos.A melhor forma de evitar o bicho-geografico é impedir o acesso de cães e gatos em praias e tanques de areia de parques e escolas. Além disso, é importante sempre andar calçado e sentar-se em cadeiras ou esteiras, para que a pele não fique em contato com a areia. Outra forma de prevenção é realizar exames frequentes nos cães e gatos e também ministrar vermífugos a esses animais.  

Tratamento

O tratamento para bicho geográfico geralmente é feito através da utilização de pomadas ou remédios antiparasitários como o Tiabendazol, Albendazol ou Ivermectina, por exemplo, durante aproximadamente 7 a 10 dias. Além disso, durante o tratamento é também recomendado ter outros cuidados, como passar gelo sobre a região afetada diariamente.   

Pedro Souza
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações