Enfermeiras maltratam um recém-nascido e publicam nas redes

Enfermeiras maltratam um recém-nascido e publicam nas redes

Atenção: o vídeo contém imagens que podem prejudicar sua sensibilidade!

As imagens chocaram o mundo inteiro. Três enfermeiras foram surpreendidas e imediatamente demitidas após serem acusadas de maltratar um recém-nascido.

A história horrível veio à tona com a divulgação de um vídeo nas redes sociais. As imagens mostram claramente o abuso ao qual um bebê de poucos dias é submetido: uma enfermeira aperta seu rosto enquanto outras duas riem alto.

Os usuários foram confrontados com imagens cuja dureza levou todos os hospitais do país a se equiparem com câmeras de vigilância que podem evitar ou, no pior dos casos, documentar futuros casos de abuso.

O caso ocorreu em um hospital de Taif, na Arábia Saudita, e logo o mundo inteiro divulgou os acontecimentos. Deu visibilidade à violência a que crianças e pessoas desfavorecidas são submetidas diariamente; alertando para a necessidade de tomar medidas urgentes.

Crianças abusadas

Sem deixar o campo da violência contra os recém-nascidos de lado, vários países da América do Sul também abriram o debate como resultado das imagens de uma criança que se submete a um exame médico que poderia ser descrito como tortura. Foi produzido em um hospital em Maracaibo, Venezuela. A criança teve que ser examinada para identificar possíveis malformações físicas.

Leia também
Mulher cria bonecas tão realistas que quase acaba na prisão

O escândalo correu como pólvora. Segundo o pediatra Marcos Tullio Torres, as imagens gravadas pela mãe "são rápidas, mas são práticas pré-definidas para identificar possíveis patologias". Da mesma forma, o Ministério da Saúde foi forçado a investigar o caso.

Fonte: Fanpage 

Gouvea Aline
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações