A trágica morte da bebê de Paul Black
A trágica morte da bebê de Paul Black
Leia mais

A trágica morte da bebê de Paul Black

A estrela do programa The Voice Paul estava a regressar do parque para casa com os seus dois filhos quando Pearl de um ano de idade, foi morta por um Range Rover.

Pearl, 22 meses de idade, morreu tragicamente na sequência dos graves ferimentos provocados pelo embate de um carro contra a parede de um vizinho que caiu sobre ela.

A bebé foi esmagada até a morte como uma "lata de Coca-Cola" depois de um motorista não conseguiu puxar o travão de mão do seu Range Rover.

O devastado pai Paul Black, estrela do The Voice em 2015, foi visto a agarrar o corpo inanimado de Pearl contra ao peito gritando: "Ela se foi!".

Black contou ao inquérito como tentou proteger Pearl e seu irmão Acer, de nove meses, enquanto voltavam para casa regressados do parque na tarde de domingo.

Ele disse: "Eu estava segurando a mão de Pearl dizendo" Junto, junto ", caso houvesse algo vindo pela estrada.  Eu ouvi o barulho de borracha no asfalto. Vi o veículo vir na nossa direção. Eu gritei: Whoa, whoa! Veja para onde está indo, idiota."

Pearl foi arrancada do seu alcance e esmagada contra uma parede de tijolos que desmoronou devido à força do carro de 2,6 toneladas.

Black, de 50 anos, disse: "Foi como uma cena de um filme de terror. Eu olhei e vi a vida abandonar o seu rosto, a vida a esvair-se de seus lindos olhos castanhos. Eu só repetia: volta para o pai, volta para o pai".

Aquando da tragédia Paul Black, encontrou um martelo numa parede próxima, e usou para partir todas as janelas e luzes.

Ele disse: "Eu estava cheio de raiva! Eu precisava descarregar no veículo que matou a minha filhinha. Eu tentei proteger meus filhos. Ele bateu na parede e esmagou Pearl como uma lata de Coca-Cola."

A causa da morte de Pearl foi dada como uma lesão catastrófica na cabeça e no pescoço.

Durante o julgamento foi ouvido o motorista de camião de longa distância, o sr. Williams, que terá puxado o travão de mão, mas não o suficiente para o prender.

Os pais ficaram inconformados aos saber que Williams não poderia ser processado porque o veículo estava em propriedade privada na sua casa.

Paul Black disse: "Uma das coisas mais difíceis foi ter de aceitar o fato de ninguém ser processado pela sua morte."

O tribunal descartou a ação criminal, mas a família quer que a decisão seja revista após a prova do inquérito e já assegurou que fará o que for necessário para reverter a decisão.

Paul disse: "O veículo era mecanicamente sólido - ele não se teria movido se tivesse sido devidamente bloqueado. A brecha na lei de que o veículo começou sua descida em terreno privado em vez de público, impediu-nos de obter justiça para nossa filha. É por isso que agora estamos ao governo que mude a lei para que nenhuma outra família sofra o que estamos a passar". 

Escrito por Gouvea Aline
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações