Islândia: resgate de alto risco de 100 baleias-piloto

Islândia: resgate de alto risco de 100 baleias-piloto

No fim de semana do último dia 12 de agosto, os salva-vidas da Islândia tiveram que lidar com uma situação bem urgente. Um grupo de cerca de cem baleias-piloto acabou preso em um fiorde da ilha. Foi preciso intervir rapidamente para ajudar os cetáceos a voltar para a rota dos oceanos.

Foram necessárias muitas e muitas horas para que os salva-vidas islandeses conseguissem ajudar umas cem baleias-piloto que ficaram presas no fiorde de Kolgrafarfjördur, a oeste da Islândia.

Manobra

E o final foi feliz: na segunda-feira pela manhã, todos os cetáceos foram reconduzidos para as águas do mar da Noruega.

A abertura desse fiorde localizado no extremo oeste do país é particularmente estreita e pouco profunda, duas condições ideais para que os peixes e mamíferos marinhos fiquem bloqueados.

Enfim, a construção de uma ponte na entrada desse fiorde, em seu ponto mais estreito, deixou ainda mais complexa a saída dos animais perdidos nesse vale inundado.

Como a entrada do vale inundado é estreita, os efeitos das marés são especialmente poderosos ali; de modo que a corrente pode impedir que os grandes animais saiam dessa passagem feita de rochas e água do mar.

Agir rapidamente

As baleias-piloto, grandes mamíferos marinhos com pele escura, se perderam no fiorde de Kolgrafarfjördur no último domingo dia 12, atraindo uma multidão às margens para observar o balé natural desses cetáceos magníficos.

Avisados rapidamente, os salva-vidas agiram com urgência, pois sabe-se que esses animais têm o terrível hábito de fracassar quando estão em situação desfavorável.

Com a ajuda de pescadores e marinheiros que moram nas proximidades, os salva-vidas da ICE-SAR conseguiram reunir o grupo de baleias (com algumas baixas), antes de escoltá-las até a saída do fiorde. Era importante juntar esses animais que, como muitos cetáceos, vivem em grupos familiares unidos e estruturados, sem que isso os estresse.

Tudo terminou bem para esse grupo de cetáceos, que voltou a sua vida nas águas frias e perigosas do mar da Noruega!

• Bruna Moura
Leia mais