O Egito estaria enviando seus animais de rua para a Coréia do Sul, denunciam ativistas

O Egito estaria enviando seus animais de rua para a Coréia do Sul, denunciam ativistas

Milhares de animais de rua começaram a ser enviados para fora do país. Ativistas dos direitos dos animais esperam que não sejam usados ​​como alimento.

Em setembro e outubro, foram concedidas licenças de exportação foram concedidas para 2.400 gatos e 1.700 cães de diferentes raças, de acordo com a Autoridade Geral de Serviços Veterinários (GAVS).

Exportar animais de rua

Esta é a primeira vez que o Egito exporta cães e gatos, segundo Hamed Abdeldayem, porta-voz do Ministério da Agricultura.

Ele afirma ainda que os cães e gatos foram em sua maioria "recolhidos da rua", mas foram vacinados e receberam um atestado médico do Instituto de Saúde Animal afirmando que estão livres de qualquer doença antes de serem exportados.

Uma política de exportação de animais?

Em 9 de outubro, um parlamentar propôs resolver o problema dos animais vadios "reunindo-os em um lugar no deserto, fornecendo comida saudável por uma semana e depois exportando-os para a Coréia do Sul".

O parlamentar Azer acredita que as exportações possam impulsionar a economia egípcia e erradicar animais de rua doentes, que se tornaram "um fardo para o cidadão egípcio".

Os coreanos comem cada vez menos cachorros.

Apesar do fato de que cerca de um milhão de cães sejam comidos a cada ano na Coreia do Sul, esta prática está mudando dramaticamente, especialmente nas gerações mais jovens.

Na quinta-feira passada, o maior abatedouro de cães da Coréia do Sul também começou a ser desativado e será transformado em um jardim público.

• Bruna Moura
Leia mais