Após divulgação deste vídeo, H&M renuncia a roupas feitas de caxemira

Após divulgação deste vídeo, H&M renuncia a roupas feitas de caxemira

A rede de lojas tomou a decisão após a publicação feita pelo PETA em que eles postaram um vídeo mostrando a forma como as cabras eram tratadas na China e na Mongólia.

Após a recente publicação feita pela PETA, a marca H&M decidiu parar completamente a venda de caxemira "convencional" até 2020. Uma decisão radical em resposta a uma transmissão de vídeo nos EUA que mostrava a violência contra às cabras na Mongólia e na China, que juntas representam 90% da produção mundial.

Neste vídeo publicado em duas partes na conta do Twitter da associação de defesa dos direitos dos animais, e dos quais você pode encontrar trechos em nosso vídeo no topo do artigo (atenção as imagens são chocantes), é possível ver o sofrimento e medo de cabras, cuja a pelagem é arrancada com pentes de metal antes de serem abatidas.

Leia também
Mulher é presa depois de uma descoberta assustadora em sua casa

"A PETA nos informou que há problemas de bem-estar animal na produção de caxemira, e nós concordamos com eles que isso precisa ser tratado (...) Continuaremos a trabalhar com uma empresa mais transparente, onde a caxemira vem de fontes sustentáveis que são certificadas por padrões que cobrem tanto o bem-estar animal quanto os aspectos ambientais ", disse o grupo H&M no Wall Street Journal. Segunda-feira, 13 de maio.

Como resultado, o grupo, que é um dos maiores na área têxtil, decidiu parar de vender a caxemira "convencional" até 2020. Notícias excelentes para os direitos dos animais, como para o nosso planeta, dado o impacto ambiental significativo da produção de caxemira.

Andressa Zabeu
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações