Como o corpo reage quando a gente se apaixona?

Como o corpo reage quando a gente se apaixona?

Pernas bambas, borboletas no estômago, calor no peito? Pode ser paixão! E a ciência explica por que o mozão te faz sentir assim

Todo mundo conhece os sintomas: coração acelerado, mãos suadas e trêmulas, frio na barriga... Mas, não, não é doença - é amor. Os desmandos do coração causam sensações físicas aos apaixonados e, cada vez mais, a ciência tenta descobrir as motivações para aquilo que, como definiu o poeta português Luís de Camões, é um fogo que arde sem se ver.

Leia também
O que acontece quando revemos o amor da nossa vida?

Quando a paixão bate, uma série de reações químicas ocorre no sistema nervoso e nos nossos hormônios. Os feromônios, hormônios da atração percebidos pelo olfato, são os grandes responsáveis por isso. De maneira mais visível, o nervosismo antes de um grande encontro tem explicação: o estímulo de adrenalina e nor adrenalina, responsáveis pelo desejo intenso por alguém específico. A perda de apetite e um certo desconforto abdominal antes de um date daqueles também são sintomas importantes para você saber o que sente. Essas sensações ocorrem devido à contração de vasos no estômago causada pela liberação do cortisol, o hormõnio do estresse.

A pele parece melhor quando amamos?

Isso acontece a partir de um efeito-cascata causado pela adrenalina, que acelera os batimentos do coração e enchem ainda mais os vasos de sangue do corpo. Os lábios ficam mais vermelhos, o rosto mais corado.

O amor é uma droga

A mais intrigante, mas não tão surpreendente, das conclusões sobre as consequências físicas do amor no corpo é a ideia de que estar apaixonado possui efeitos parecidos no cérebro com o de ser viciado em drogas. Um estudo de 2010, realizado na universidade americana de Rutgers, concluiu que a euforia da paixão, causada por descargas de adrenalina, dopamina, vasopressina e ocitocina, é a mesma dos narcóticos. Segundo a sexóloga Kat Van Kirk, esses elementos químicos são responsáveis por "viciar" você no parceiro.

Mas por que será que a gente não consegue parar de olhar pro mozão? A culpa é toda da dopamina. Ela é a chamada "droga da recompensa", relacionada às demandas de desejo que, quando sanadas, causam prazer intenso. A cocaína também está diretamente ligada à liberação de dopamina no corpo, assim como aquilo que você sente quando vê fotos do seu amor. O prazer e a satisfação da companhia do parceiro são também semelhantes a do vício. Quanto mais tempo você passa com ele (ou ela), mais quer passar - ou seja, qualquer semelhança não é mera coincidência...Os impactos no corpo quando estamos gamados em alguém também são muito parecidos com as sensações causadas pelo consumo de bebidas álcoolicas. Pesquisadores da Universidade de Birmingham afirmam que a ocitocina, substância chamada de "droga do amor" por ser liberada durante o orgasmo, e o álcool interferem em áreas distintas da mente, mas com consequências muito semelhantes.

Desinibição, ansiedade, presunção e até agressividade são efeitos comuns tanto para quem toma uns copos a mais quanto para quem está amando. A atração também faz as pupilas dilatarem, como também algumas dessas substâncias.O melhor (ou pior) é que nada disso tem remédio. É só deixar o amor nos vencer.

• Bruna Moura
Leia mais