Quer diminuir o consumo de carne, sem ser radical? Seja flexitariano

Quer diminuir o consumo de carne, sem ser radical? Seja flexitariano

O regime alimentar que virou tendência mundial ao defender a diminuição da ingestão de carne, mas sem radicalismos. Saiba como funciona o flexitarianismo. 

Muitas pessoas querem se tornar vegetarianos, mas desanimam durante o processo por não conseguirem abrir mão de um petisco com carne durante uma festa ou de um bom restaurante de comida japonesa de vez em quando. Seja por motivos de saúde, estilo de vida ou preocupação com os animais, a verdade é que tem muita gente querendo mudar os seus hábitos alimentares. Uma pesquisa feita pelo Datafolha no ano passado revelou que 63% dos brasileiros querem reduzir o consumo de carne. Mas, como mudanças radicais são difíceis de manter por um longo período de tempo, surgiu o conceito de flexitarianismo.

Na definição do dicionário Oxford, flexitarian (que mistura as versões em inglês de flexível + vegetarianismo) diz respeito àquelas pessoas que seguem a dieta vegetariana na maior parte do seu cotidiano e, de vez em quando, comem algum tipo de carne. Muitos começam apenas reduzindo as porções e, aos poucos, vão fazendo menos refeições por semana com proteínas animais, deixando-as apenas para ocasiões especiais.

A professora da Faculdade de Nutrição da Universidade de Manchester, Emma Derbyshire, definiu uma medida mais exata. Segundo a especialista, para ser considerado um flexitariano, a pessoa deve consumir carne, peixe ou aves até, no máximo, três vezes por semana. A ideia é que a maior parte das refeições seja feita de alimentos vegetais e as carnes sejam deixadas para ocasiões especiais. Esta dieta, que também pode ser chamada de semi-vegetarianismo ou reducitarianismo, recomenda que as pessoas incluam nos seus hábitos mais leguminosas, grãos integrais, hortaliças, frutas e legumes variados, oleaginosas, sementes, cogumelos, além de leites e queijos 

Vegetarianos

Esta mudança de comportamento é um fenômeno global: a americana Whole Foods, famosa rede de supermercados de produtos naturais, definiu esta como uma das principais tendências para os próximos anos. O processo de transição nem sempre é fácil, mas é possível, sim. Hoje em dia, é muito fácil encontrar na internet diversas instruções para começar a mudar os hábitos e conquistar uma  vida saudável. E, diferentemente do que muita gente pensa, a cozinha baseada em ingredientes vegetais pode ser muito versátil e saborosa.

Existem no Youtube diversos canais bem bacanas que dão dicas e ensinam o passo a passo para todo o tipo de receitas. Selecionamos três brasileiros para você acompanhar:

1 – Presunto Vegetariano 

O canal existe desde 2011 e ensina receitas doces e salgadas que são super fáceis de fazer. Com mais de 330 mil seguidores, é um dos mais conhecidos do Youtube entre os vegetarianos. O vídeo mais popular é o que ensina a fazer “carne de jaca”.

Leia também
Aprenda a escolher o salmão mais saudável

2 – Vegetarirango

O criador do canal, Flavio Giusti, divide com seus 230 mil seguidores dicas de receitas, responde a dúvidas e faz entrevistas com especialistas. O projeto cresceu e agora conta também com um site que oferece todo o tipo de produtos que os vegetarianos (ou flexitarianos) podem precisar, desde alimentos e materiais de limpeza até camisetas. 

3 – Viewganas

Em pouco tempo, Bianca Barneschi e Mariana Malagutti já têm mais de 50 mil inscritos no seu canal. O sucesso é porque as meninas ensinam várias receitas incríveis sem ingredientes animais, inclusive para aqueles que amam junk food – as criações vão desde catupiry até x-bacon veganos.

Pedro Souza
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações