Inglaterra: tribunal declara que ela é obesa demais para adotar uma criança

Inglaterra: tribunal declara que ela é obesa demais para adotar uma criança

Zoe Young está chocada. Ela não pode adotar uma criança porque é... obesa. Ela alerta contra a discriminação.

Há muitas crianças que precisam desesperadamente de adoção. Nos Estados Unidos há muitas campanhas que estimulam a adoção.

Mas Zoe Young afirmou que, depois de meses de processo com o centro de acolhimento da cidade, ela foi considerada inadequada para ser uma mãe adotiva por causa do seu peso.

O Conselho de Salford insiste que eles aceitam pais adotivos de todas as formas e tamanhos e análise dos candidatos é baseada na saúde dos requerentes e obesidade é, sim, um fator importante.

Mas, Zoe, de 32 anos, de Ellenbrook, Salford,contesta a decisão.

"Você pode ser um pai adotivo se você é solteiro, independente da sua sexualidade, então por que eu fui recusada pelo meu peso? Eu acho discriminatório e injusto.".

Meu marido, Tim, e eu tivemos alguns encontros com os oficiais do Conselho no ano passado para discutir o seu processo de adoção.

"Naquela época eu estava me recuperando de uma perfuração no intestino. O Conselho disse que eu deveria retornar o contato quando eu recuperasse a minha mobilidade pois eles tinham preocupações com a minha saúde. Eu estou totalmente recuperada agora. Eu tenho um personal trainer e estou trabalhando duro para emagrecer. Eu entrei em contato com a oficial na semana passada e disse que estava pronta para adoção. Ela disse que o Conselho ainda tinha preocupações sobre a minha saúde, mas eu argumentei que já havia quase um ano desde o primeiro contato. Eu disse 'bem, por quê?' e ela me perguntou se eu ainda estava acima do peso. Ela afirmou três vezes que o meu peso era a questão.".

Ela e Tim, de 35 anos, engenheiro, decidiram adotar após tentarem, sem sucesso, engravidar de forma natural, mesmo após um tratamento para fertilidade.

Ela acrescentou: "O Conselho disse que eles precisam recrutar de 32 a 56 pais adotivos todos os anos. Tim e eu estamos oferecendo uma casa cheia de amor para uma criança em vez de deixá-la em um abrigo. Eu agora insisto com o Conselho que eles escrevam o que me disseram, que eu fui recusada pelo meu sobrepeso.".

"A irmã da minha vó foi deixada para adoção durante a Guerra e ela me inspirou a ser uma mãe adotiva porque ela teve uma vida ótima graças a isso, a ter um lar com amor.".

Leia também
Se uma criança fosse “tratada como um cachorro”

Zoe, que faz mestrado na Universidade de Manchester em Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais e Estatística, afirmou: "Eu poderia facilmente trancar o meu curso para ser uma mãe adotiva.".

O Conselho de Salford afirmou que é imprescindível que os pais tenham condições psicológicas e físicas de cuidar de uma criança.".

A chefe do Conselho, Lisa Stone, afirmou: "Não posso comentar sobre casos individuais.".

"Nós somos abertos a um amplo espectro de pessoas consideradas aptas a serem pais adotivos mas se alguém está acima do peso, nós temos preocupações sobre a energia dos pais de atender as demandas de uma criança pequena. Nós não gostaríamos de rejeitar alguém devido a seu peso mas queremos discutir com eles sobre a saúde e bem-estar para termos certeza que eles podem cuidar de crianças.".   

• Alves Kelly
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações