Ele bate na namorada sem saber que a internet toda estava assistindo

Ele bate na namorada sem saber que a internet toda estava assistindo

A cantora sul-africana Babes Wodumo falava com seus fãs através das redes sociais quando seu namorado, um famoso rapper, aparece no quarto e lhe dá uma surra muito forte.

Aviso: as imagens que acompanham este artigo são fortes e podem prejudicar sua sensibilidade.

As imagens captam o momento em que uma cantora sul-africana que falava com seus fãs através das redes sociais é brutalmente agredida por seu namorado, um famoso rapper.

O rapper acima mencionado aparece no quarto onde a jovem fala baixinho, vestida de bermudão e sem dizer uma palavra, ele lhe dá dois golpes muito fortes e puxa seu cabelo violentamente. O abusador deixa a cena e a garota fica chorando no quarto, em pânico e dor.

Por "sorte" a agressão foi retransmitida pelas redes sociais, constituindo uma prova irrefutável dos maus-tratos sofridos. Este não é o menor detalhe: em numerosas ocasiões, as mulheres enfrentam não só o horror da violência doméstica, mas também o julgamento social daqueles que se recusam a acreditar ou até mesmo culpar pelo que aconteceu. 

E no caso dessa garota, cujo namorado é um rapper famoso, padrão da masculinidade mais rançosa, é especialmente importante. Teriam acreditado nela se ela não tivesse o vídeo que mostra a agressão? A sociedade sul-africana teria aceitado que esse herói da música é, de fato, um abusador inescrupuloso? 

Felizmente, o vídeo garantiu a prisão do cara. Mas ele foi liberado horas depois, após ter pago uma fiança mais do que absurda em relação ao ocorrido: 7.000 rands (cerca de 123 dólares). E suas declarações à mídia só vieram confirmar o perfil de um ofensor abusivo, porque ele justificou seu comportamento argumentando que a culpa era dela. 

Aparentemente, a menina tinha despertado de uma forma muito violenta sua agressividade, que era uma mera resposta a uma suposta agressão anterior. Como se isso justificasse tudo. Como se o vídeo não estivesse claro o suficiente. Como se fôssemos imbecis.

A violência baseada em gênero é um dos maiores problemas que as mulheres enfrentam em todos os cantos do mundo. De acordo com a ONU Mulheres, 35% das mulheres em todo o mundo tem sofrido de algum momento de violência física e/ou sexual, ou vítima de um parceiro íntimo ou violência sexual por uma pessoa diferente de seu parceiro. E atenção, esses números não incluem o assédio sexual.

Leia também
Qual a particularidade deste bebê para que sua mãe tenha medo de amamentá-lo?

Alguém ainda questiona essa triste realidade? Damos um outro fato: estima-se que das 87.000 mulheres que foram mortas em todo o mundo em 2017, mais da metade (50-58%) foram mortas por seus parceiros ou parentes. O que significa que 137 mulheres do mundo são assassinadas diariamente por um membro de sua família. Mais de um terço das mulheres mortas em 2017 foram exterminadas pelo seu atual ou antigo parceiro. 

A violência de gênero é um crime. Vamos ajudar as vítimas a recorrer às autoridades!

• Gouvea Aline
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações