A Lacoste resolveu defender animais ameaçados de extinção... e o resultado foi esse!

A Lacoste resolveu defender animais ameaçados de extinção... e o resultado foi esse!

A famosa marca de vestuário Lacoste, conhecida por suas polos com o crocodilo verde, resolveu sair em defesa dos animais ameaçados de extinção. Como? Simplesmente substituindo seu eterno crocodilo verde, símbolo da marca, por brasões no formato dos animais ameaçados.

É o tipo de iniciativa que faz bem e deve ser aplaudida. No início de março, a famosa marca de vestuário Lacoste, que veste muitos esportistas e outras celebridades, anunciou que tinha lançado uma campanha pela defesa dos animais selvagens ameaçados de extinção. Como? Colocando à venda uma linha de polos onde espécies ameaçadas foram representadas no lugar do eterno crocodilo verde.

Pela primeira vez em 85 anos, o réptil verde, ícone da marca, cedeu seu lugar para outras criaturas em uma série limitada. Para cada espécie ameaçada, foram produzidas polos suficientes para a subsistência dos espécimes vivos espalhados pelo mundo. Essa ideia foi possível graças a uma parceria com a União Internacional para a Conservação da Natureza e com o programa "Save our Species".

A Lacoste escolheu dez espécies ameaçadas de extinção. A vaquita marinha ou marsuíno do golfo da Califórnia (30), a tartaruga de Myanmar (40), o primata lêmure esportivo do norte (50), o rinoceronte de Java (67), o gibão negro cristado oriental (150), o papagaio kakapo (157), o condor da Califórnia (231), o herbívoro saola (250), o tigre de Sumatra (350) e a iguana de Anegada (450).

No total são 1775 polos vendidas em benefício da conservação desses animais selvagens em situação crítica. Cada roupa tem o preço proposto de 600 reais, cerca de 200 a mais que uma polo clássica Lacoste: esses 200 reais extras serão revertidos para a UICN.

Mas para eventuais colecionadores e outros amantes dos animais, parece que já é tarde para conseguir uma dessas polos. Ao entrar na página do site oficial da Lacoste dedicada a essa operação, as roupas já estão todas "esgotadas".

• Bruna Moura
Leia mais